20170323_130920_IMG_0726.JPG

Como nasceu este projecto?

Eu, Catarina, em Março de 2017 tornei-me FAT, Família de Acolhimento Temporário, de um cão sénior e cego que estava ao cuidado da APCA chamado Gugu. Era um cão de porte grande, muito meigo e vivia uma vida solitária na associação, visto terem que o proteger da confusão dos outros patudos. Quando visitei a associação levaram-me a conhecer este sénior e contaram-me a sua história. Tinha sido brutalmente espancado na cabeça por um vizinho do seu dono e mais tarde abandonado pelo mesmo. Não sei o que o Gugu terá feito mas seja o que for nada do que lhe aconteceu me parece justificável. Eu nada sabia de cães cegos ou com necessidades especiais. Até então, eu só tinha tido contacto com animais “normais”. Levei o Gugu para casa e começou uma história de amor e aprendizagem para ambos.  Foi das melhores experiências da minha vida.

Passado um mês, aparece uma publicação da Dra. Alexandra Pereira,  do canil de Sintra em que apresenta, entre outros, uma cadelinha de porte pequeno, sénior, cega e com uma enorme depressão (fotografia ao lado). Partiu-me o coração mas pensei que ela iria dar a volta e recuperar. Continuei atenta às notícias sobre esta menina e passados 2 ou 3 dias vem a terrível notícia: ela recusava-se a comer e a beber água, mal se mexia, estava a desistir de viver. Mesmo sem a conhecer pessoalmente procurei a Dra. Alexandra e perguntei como poderia ajudar. Disse-me que muito dificilmente ela sobreviveria mas caso eu quisesse tentar que a podia levar comigo e ser sua FAT. Repetiu as palavras “não tenha muita esperança” e entregou-me a pequenina. Nesse primeiro dia levei-a para casa e deixei-a estar confortável, dei-lhe mimos e, sem sucesso, tentei que comesse. No dia seguinte estava já numa prostração imensa e foi então que peguei nela e levei-a a tomar um banho e a cortar o pelo. No final vejo-a de cabeça para cima como se procurasse algo. Coloquei a minha cara junto dela e recebi o primeiro de muitos beijinhos. Saímos dali e fomos à praia. (fotografias em baixo). Molhou as patas no mar e rebolou na areia. Como assim? Sem querer que ela perdesse essa alegria fui comprar frango do churrasco e ela comeu... Neste dia fiz-lhe uma promessa: vou estar ao teu lado até ao último segundo da tua vida! Deixei de ser FAT e adotei-a.

20170424_135242_IMG_1047.JPG
20170424_130621_IMG_1040.JPG
20180424_162027_IMG_5667.JPG
20170426_181652_IMG_1100.JPG

Durante vários dias repeti a ida à praia e o frango como refeição. Conseguem imaginar uma pessoa com dois cães cegos e séniores numa praia? Era no mínimo divertido. O Gugu e a pequenita eram agora as estrelas da praia da Parede.

gugu_sofa_2.jpg

O Gugu começou a mostrar muito cansaço e acabou por não viver muito tempo. Foi duro deixá-lo partir mas foi muito gratificante saber que lhe dei um final de vida confortável, com brincadeiras, alegria e muito muito amor...

Gugu_praia.JPG

A pequenita, ainda sem nome, andava para todo o lado comigo: praia, campo, cidade, e foi então que surgiu a comparação da personagem “Anita”: "Anita na escola", "Anita no parque", "Anita na praia". E assim nasceu a minha Anita.

A pequena Anita não deixava ninguém indiferente. Ela corria mais rápido que nós, ela adorava ir buscar o brinquedo depois de eu o atirar. Sim ela era cega a 100%,mas nada a parava. Foi a minha companheira durante o ano que viveu. Passou por 3 grandes cirurgias. Uma piómetra, que é uma infeção no útero e vários tumores mamários malignos que obrigaram à remoção completa das duas cadeias mamárias. Apesar de aguentar tudo isto, o cancro alastrou-se para outros orgãos incluindo os pequenos pulmões dela. O coração já mal aguentava cada respiração. Demos-lhe tudo que precisava para estar confortável até que já nada havia a fazer. A decisão era óbvia mas nem por isso fácil. O veterinário que nos acompanhou, atenciosamente, sugeriu que eu não estivesse presente na hora dela ir para eu não sofrer. Mas aquilo não se tratava de mim nem do que eu sentia. Eu estive e estava ali por ela. Com ela deitada no meu colo, cumpri a minha promessa... 

A Anita foi uma inspiração para mim. Ela era de doçura, inteligência e resiliência notáveis. Este projecto é a minha homenagem a ela.

Obrigada por tudo o que me ensinaste.

Até um dia minha Anita.

20170503_141416_IMG_1174.JPG
20171025_232055_IMG_3527_1.png
20180121_115526_IMG_4883.JPG
20171007_165612_IMG_3298.JPG
 
20170502_231929_IMG_2934.JPG

Obrigada Anita e Gugu

 

Catarina Palma

Etóloga Canina, formada pela CCVL ACADEMIA, e a fundadora deste projeto. Dá treinos de obediência básica e alteração comportamental. Recupera também animais com problemas de agressividade, alguns usados em lutas, e treina-os para fazerem parte de uma família.

20210511_122454.jpg

ADESTRAMENTO CIENTÍFICO

- Conhecer o cão

- Métodos de adestramento

- Condicionamento instrumental ou operante

- Adestramento em obediência básica

- Socialização

- Comunicação canina

- Diagnosticar o cão

TERAPIA COMPORTAMENTAL

- Agressividade

- Micção e defecação inadequadas

- Ansiedade por separação

- Fobias                               

- Manias maternais

- Hiperactividade e hiperexceptibilidade

- Comportamentos estereotipados

- Ingestão inadequada

- Síndrome de disfunção cognitiva

ADESTRAMENTO EM GUARDA E PROTEÇÃO

- Trabalho de motivação

- Treino técnico das mordidas

- Treino de inibição de mordida

- Treino de fuga

- Treino de busca

- Treino de ataque surpresa

- Treino do ataque longo

NUTRIÇÃO

- As bases da alimentação do cão

- Comportamento alimentar do cão

- Tipos de alimentação

SAÚDE

- Profilaxia

·         Vacinação e desparasitação

- Cuidados básicos

·         Avaliar um quadro de emergência

·         Abordagem a um animal ferido

·         Realização de curativo

 

 

- Primeiros socorros

·         Problemas respiratórios

·         Envenenamento, intoxicações e reações alérgicas

·         Hipo e hipertermia

·         Afogamento

·         Queimaduras, traumatismos e hemorragias

·         Convulsões e desmaios

·         Choque eléctrico

·         Reanimação cardio-respiratória

·         Partos